Venha reviver a Rota do Cangaço no Sertão Nordestino

Posted on

Você quer reviver a história de Lampião e Maria Bonita? Que tal conhecer a Rota do Cangaço, em Sergipe, no Sertão Nordestino? Aproveite e leia neste artigo as principais dicas de passeio na região. Afinal, a grota ficou famosa após o massacre do bando liderado por Lampião, considerado ora justiceiro ora bandido.

Por que ir?

Ir à Rota do Cangaço é mergulhar na história do herói nordestino. Assim, a fama desse personagem tão controverso teria surgido após a morte dos seus pais na briga de fazendeiros pela posse das terras.

Aliás, o apelido de Virgulino Ferreira da Silva, nome de batismo de Lampião, teria começado após ele descarregar sua espingarda a ponto de fazer luz, semelhante à de um lampião, para ajudar um amigo a encontrar um cigarro que caiu no escuro.

Desse modo, Virgulino liderou o grupo dos cangaceiros, formado por cerca de 50 homens e mulheres, que saqueavam cidades e cometiam atrocidades se não fossem bem recebidos pelos coronéis.

Porém, se fossem bem tratados nas cidades por onde passavam, devolviam a gentileza com proteção paramilitar e comida aos mais pobres.

Por isso, Lampião foi considerado o Robin Hood brasileiro. Tanto que encantou o coração de Maria Gomes de Oliveira, a famosa Maria Bonita. Aliás, ela era casada com um sapateiro quando conheceu Virgulino, mas não hesitou em fugir com o grande amor da sua vida e ajudá-lo na linha de frente dos combates.

Agora que você reviveu um pouco da história desse herói nordestino leia mais sobre a Rota do Cangaço.

Quando ir

Devido ao sol escaldante do Sertão Nordestino, é aconselhável fazer o percurso da Rota do Cangaço nos meses de inverno, preferencialmente nas férias de julho. O ponto turístico fica na divisa entre Alagoas e Sergipe, que tem chuvas concentradas em maio. Novembro é o mês mais seco.

O que levar

É imprescindível colocar na mala roupas leves, como shorts de malha, camisetas frescas e um par de tênis confortável. Não esqueça outros itens como:

  • chapéu ou boné
  • protetor solar
  • repelente
  • recipiente para água gelada
  • biquíni ou sunga

Como chegar

Para chegar à Rota do Cangaço é preciso ir até o município de Piranhas, em Alagoas, a 290 km da capital Maceió. A pequena cidade é banhada pelo Rio São Francisco.

Se você está em outro estado ou país, pegue um voo até o aeroporto de Maceió ou de Aracaju.

De lá vá até Piranhas de carro alugado ou ônibus. Se estiver de carro, vindo de Maceió, siga pela SE-206. Já se preferir ir de ônibus, saia de Aracaju, mas se programe com antecedência, pois há apenas duas linhas diárias e a viagem dura cerca de cinco horas.

Chegando a Piranhas, embarque num catamarã (barco) e aproveite a linda paisagem do Velho Chico até a chegada ao destino. Há duas formas de chegar até a Rota do Cangaço: pelo Espaço Ecológico Angico ou pelo Eco Parque. O trajeto dura cerca de uma hora.

O que fazer

É claro que a atração principal é a Rota do Cangaço, que é a Trilha da Grota do Angico, mas há outros passeios imperdíveis que irão fazer você viver uma experiência turística memorável. Confira neste artigo:

Rota do Cangaço

Para reviver a história de Lampião, é só percorrer a Rota do Cangaço. Ela é uma trilha rasgada no meio da Caatinga, bioma exclusivo do Brasil. O caminho preservado há décadas leva à Grota do Angico, local onde ocorreu o massacre do bando de Lampião na noite de 27 de julho de 1938. A grota já pertence ao município de Canindé de São Francisco, em Sergipe.

A maioria dos grupos desce do catamarã no Restaurante Angicos e inicia a subida à grota na trilha de 680 metros em terreno acidentado. Na grota em si há placas e cruzes com os nomes dos mortos. Depois é só descer o percurso. Há pontos de parada para dar aquela respirada e tomar água, já que a caminhada exige bastante fôlego.

Piranhas

casas coloridas na cidade de Piranhas

A cidade de Piranhas é a base da Rota do Cangaço, e onde foram expostas, no passado, as cabeças de Lampião, Maria Bonita e seus cangaceiros. Banhada pelo Rio São Francisco, a cidadela parece que parou no tempo, com casinhas coloridas e um movimentado centro, rodeado de restaurantes e lanchonetes. Além disso, o Centro Histórico de Piranhas é tombado pela Unesco. Vale à pena conhecer!

Espaço Angicos

vista panorâmica de rio São Francisco com construções, pessoas e bares

Longe da badalação das praias nordestinas, o Espaço Angicos é área verde e uma faixa de areia banhada pelo Velho Chico. Impossível não relaxar nas cadeiras e mesas colocadas dentro da água. O local tem restaurantes que servem as delícias nordestinas, como o doce de cactos.

Entremontes

mãos bordando tecido

“Olê muié rendera, olé muié rendá. Tu me ensina a fazê renda, que eu te ensino a namorá”. É difícil não lembrar dessa canção típica da Rota do Cangaço quando se visita o distrito de Entremontes, a Oeste do Centro Histórico de Piranhas. Mulheres rendeiras e bordadeiras recepcionam os turistas que ficam encantados com o talento da mulher nordestina. Dá para levar lembrancinhas e ainda pagar no cartão de crédito.

Cânions do São Francisco

barco passando em Rio São Francisco em meio a cânions

Aproveitando a visita à Rota do Cangaço, passeie de cataramã pelo Rio São Francisco no trecho próximo aos cânions, que são os paredões de pedra encantadores do Velho Chico.

No meio do caminho você encontra a imagem de São Francisco de Assis, protetor dos animais, presa num altar improvisado. O visitante pode pular da embarcação e nadar nas águas do Rio São Francisco. Uma proteção de rede, com cerca de 10 metros de profundidade, simula uma grande piscina. O banho na água doce é inesquecível.

Onde comer

Pescados, macaxeira e doce de cactos podem ser encontrados facilmente na rede gastronômica da região da Rota do Cangaço. A gastronomia da região é simples, porém saborosa. Acompanhe dicas de locais para comer.

Flor de Cactus

O restaurante Flor de Cactus possui uma escadaria que leva a um mirante de onde se pode ver toda a cidade de Piranhas. Vale à pena apreciar o pôr do sol deste lugar. O restaurante tem ainda a típica comida nordestina, com destaque para os peixes assados e fritos.

Restaurante Angico

Ponto de partida para a Grota do Angico, o Restaurante Angico atrai visitantes devido à vista panorâmica do Rio São Francisco, o famoso Doce de Cactos e os pescados. O espaço também conta com área infantil e mesas à beira do Rio São Francisco.

Restaurante Sabor do Sertão

O restaurante Sabor do Sertão fica em Canindé do São Francisco e o que mais chama a atenção é o local bastante arejado para aliviar a sensação de abafamento do Sertão Nordestino. A casa tem pratos típicos da culinária nordestina, como guisado de bode e buchada.

Onde ficar

Está gostando da Rota do Cangaço até aqui? Já deu para perceber que não dá para conhecer tudo num só dia. Então, programe sua hospedagem em Piranhas ou nas cidades vizinhas.

Você pode acessar os sites Booking, AirBnb e TripAdvisor para pesquisar as opções de hotéis, pousadas e casas de moradores da região. Porém, aqui vão algumas dicas. É só clicar nos links:

Para concluir, a Rota do Cangaço fica bem longe da badalação das praias nordestinas, mas é um ponto turístico importante do Nordeste devido à sua importância histórica e cultural. Pois através da história de Lampião e Maria Bonita, o turista resgata a história de lutas dos sertanistas brasileiros e as desigualdades entre o homem do sertão e os latifundiários.

Agora é com você! Deixe nos comentários a sua experiência com a Rota do Cangaço, os lugares visitados e o que mais chamou sua atenção.

Gizele Silva
Formada em jornalismo pela Universidade Estadual de Ponta Grossa, no Paraná, e especialista em Mídia, Política e Atores Sociais. É produtora de conteúdo para web e redes sociais na área de turismo e empreendedorismo – https://linkedin.com/in/maria-gizele-da-silva-39935a110/.