Conheça Ouro Preto: o tesouro revelado de Minas Gerais

Posted on

Sabe quando parece que cada canto da cidade respira história e cultura? É exatamente essa sensação que você tem quando anda pelas ruas antigas de Ouro Preto. A cidadezinha de 74 mil habitantes, escondida entre colinas a 100 km da capital Belo Horizonte, foi palco de muitos fatos históricos. Tanto que ela ainda preserva as obras de Aleijadinho e as igrejas barrocas.

Certamente, seria necessário um livro inteiro só para contar as curiosidades do município. Mas só para dar um gostinho do que foi Ouro Preto no passado e como isso se reflete na experiência turística no presente, acompanhe a leitura deste artigo.

Antiga Vila Rica

Portanto, a cidadezinha foi fundada em 1711 com o nome de Vila Rica. Os aristocratas se concentraram na região devido ao ouro abundante. Só para se ter uma ideia, no século 18 saíram 800 toneladas de ouro para Portugal. Sem contar, é claro, no ouro que ficou na região. As igrejas, por exemplo, ganharam altares com detalhes em ouro puro.

Além disso, o local ficou conhecido por ser palco da Inconfidência Mineira, que culminou no enforcamento de Tiradentes, em 1792. E não foi só isso. Além de cenário da corrida pelo ouro e dos encontros dos inconfidentes, Ouro Preto teve a maior concentração de intelectuais e artistas, como Aleijadinho e Mestre Ataíde.

Então, agora que você já conheceu um pouco mais do berço histórico de Ouro Preto, saiba mais sobre esse destino turístico tão charmoso no interior do Brasil.

Por que ir a Ouro Preto?

Dessa forma, quem busca uma experiência turística ligada à história e à cultura encontra em Ouro Preto a opção perfeita.

Primeiramente porque a cidade é considerada um museu a céu aberto. Entre os prédios mais antigos está a Casa da Ópera, inaugurada em 1770.

Em segundo lugar, está o apelo à arte barroca. O movimento está expresso nas dezenas de igrejas históricas. Lembrando que o Barroco alcançou seu apogeu no Brasil no século 18 e deixou sua marca em Minas Gerais.

Portanto, a riqueza cultural e histórica, aliadas à arquitetura colonial, elevaram a cidade a Patrimônio Mundial pela Unesco, em 1980. Mas, muito antes, em 1938, era foi considerada patrimônio nacional.

Quando ir

Mas quando estiver planejando sua viagem a Ouro Preto não se esqueça de consultar a previsão do tempo. A melhor época para ir à cidade é no outono ou na primavera.
Isso porque o clima é temperado e quente na região.

Além disso, as chuvas são mais intensas no verão. Portanto, se você pretende bater perna de igreja a museu, além dos pontos turísticos da região do entorno de Ouro Preto, é bom que o clima seja um aliado.

Assim, para complementar, a temperatura média em Ouro Preto é de 18.3ºC. Porém, se você não se importa com o sol escaldante do verão, vá nas férias de final de ano e curta o céu limpo do município histórico para tirar belas fotos e selfies.

O que levar

Nesse sentido, se você optar por Ouro Preto para passar a sua próxima folga ou férias, não esqueça alguns itens importantíssimos na hora de fazer a mala:

  • roupas leves
  • tênis ou chinelos
  • bateria extra no celular
  • garrafinha de água
  • barra de cereal
  • câmera fotográfica
  • documentos pessoais
  • dinheiro para os passeios extras

Como chegar

Então, você está em outro estado ou país e deseja chegar a Ouro Preto? A melhor solução é o avião. Há voos diários chegando no Aeroporto Internacional de Belo Horizonte – Confins.

Logo, a partir daí o único trajeto é por via terrestre. Do aeroporto até a cidade são 140 km e menos de 2 horas de viagem de carro.

Então, partindo do aeroporto segue-se pela BR-356. Já a partir do Rio de Janeiro, vá pela BR-040. Mas saindo de São Paulo o melhor trajeto é pela BR-381, passando por Belo Horizonte até chegar a Ouro Preto.

Onde ficar

Certamente, a hospedagem é um dos eixos da sua viagem. Você pode fazer suas pesquisas clicando nos sites Booking, TripAdvisor, Trivago e AirBnb.

Logo, nos três primeiros, basta fazer a busca e reservar o hotel escolhido. Já no último, é preciso se cadastrar e escolher a melhor casa ou apartamento. 

Então, veja a seguir algumas das opções de hospedagem:

O que fazer

Curta sua experiência turística em Ouro Preto conhecendo os principais pontos turísticos e fazendo os passeios. Veja nossas dicas:  

Passeio de trem

trem parado sobre a ferrovia em Ouro Preto

Para combinar com o passeio histórico, que tal viajar de trem entre Ouro Preto e Mariana? Você poderá curtir o trem turístico e apreciar a paisagem numa experiência turística encantadora.

Geralmente, o trem parte de Ouro Preto às 14h30. A viagem dura cerca de uma hora e você pode aproveitar para conhecer um pouco mais da história do Ciclo do Ouro.

Por isso, uma dica: você pode voltar de ônibus para Ouro Preto e, no meio do caminho, conhecer a Mina da Passagem. Nela, você pode descer de carrinho até as áreas de escavação desativadas.

Casa da Ópera

Palco iluminado da Casa da Ópera

Com fachada que lembra o período colonial brasileiro, a Casa da Ópera também é conhecida como Teatro Municipal de Ouro Preto. O local, que atualmente comporta 300 pessoas, oferece atrações musicais, concertos de música clássica e apresentações de artes cênicas.

Porém, como tudo em Ouro Preto respira história, a Casa da Ópera não poderia ser diferente. Aliás, o espaço foi construído em 1770 e é considerado o teatro mais antigo de toda a América Latina. Mas é claro que ele passa por manutenção constante. Em 2007, aliás, o local foi reaberto depois de uma longa e detalhada restauração.

Igrejas e capelas

Todavia, é inegável que as igrejas são a principal atração turística de Ouro Preto. Elas são uma expressão da fé do período colonial brasileiro, da arte barroca e do talento de artistas como Aleijadinho e Mestre Ataíde.

Desse modo, a mais visitada é a Igreja de São Francisco de Assis, construída no século 18. A igreja tem duas lindas torres, recuadas da fachada cheia de ornamentação.

Mas há outras opções de visitação em Ouro Preto, porém, aqui vai uma dica importante: os templos fecham às segundas-feiras, além disso, as fotos internas são proibidas.

Museu da Inconfidência

 frontal do Museu da Inconfidência

Um dos passos importantes para a conquista da Independência do Brasil começou na Inconfidência Mineira. E um dos lugares mais representativos desse fato histórico é o Museu da Inconfidência, em Ouro Preto.

A fachada, riquíssima em detalhes da arquitetura colonial, é um dos cartões postais de Minas Gerais. Portanto o prédio foi concluído em 1846 como Casa de Câmara e Cadeia Pública. No entanto, desde 1944 é sede do museu, com seus utensílios, documentos e um acervo importantíssimo sobre o período colonial.

Onde comer

Como toda cidadezinha do interior mineiro, a cozinha local de Ouro Preto é temperada com a típica comida caseira, como torresmo, tutu (que lembra o Virado à Paulista) e o bom e velho pão de queijo.

Mas alguns restaurantes servem cardápios da gastronomia local com toques modernos. Confira algumas dicas da rede gastronômica de Ouro Preto.

Conto de Réis

O Restaurante Conto de Réis encanta até mesmo pelo espaço. Localizado na antiga senzala de um casarão do período colonial, a decoração mistura o lado rústico com o requintado. O local serve comida mineira, feita em panela de pedra, e deliciosas sobremesas servidas em tachos de cobre.

Café Geraes

O Café Geraes é uma cafeteria bem no centro de Ouro Preto. Localizada num casarão antigo restaurado, a cafeteria recebe os visitantes ao som de um piano, instalado no salão, e do aroma do café mineiro. A casa ainda tem mais dois ambientes, com restaurante e comida oriental. Vale à pena a visita.

Tenente Pimenta Rock Bar

O ar de modernidade de Ouro Preto, que também é uma cidade universitária, pode ser conferido no cardápio do pub Tenente Pimenta Rock Bar.

O local tem referências militares e serve os mais deliciosos petiscos para acompanhar uma grande variedade de cervejas. O nome “Tenente Pimenta” é uma referência ao avô dos três sócios, que também são primos.

Para concluir, Ouro Preto é uma das cidades mais visitadas de Minas Gerais. O que mais chama a atenção dos turistas são os prédios históricos, as marcas da Inconfidência e o ar bucólico de cidade pequena.

Gostou das nossas dicas? Depois de passear por Ouro Preto, apreciar a cidade das sacadas dos antigos casarões e experimentar a comida mineira, compartilhe com a gente nos comentários as suas impressões.

Gizele Silva
Formada em jornalismo pela Universidade Estadual de Ponta Grossa, no Paraná, e especialista em Mídia, Política e Atores Sociais. É produtora de conteúdo para web e redes sociais na área de turismo e empreendedorismo – https://linkedin.com/in/maria-gizele-da-silva-39935a110/.