Pratos nordestinos que vão fazer você se apaixonar

Posted on

A culinária local do Nordeste é uma verdadeira aula. De História, porque as principais influências vieram dos índios, dos africanos e dos portugueses. De Geografia, porque a Caatinga forneceu os temperos fortes, e o litoral, os pescados. Dessa forma, os pratos típicos nordestinos conquistaram o paladar de outras regiões.

Assim, a migração interna, com a ida de sertanistas para o Sudeste, também colaborou para propagar o gostinho da comida da região.

Inegavelmente, a cultura nordestina influenciou o resto do país. Prova disso são os temperos carregados, a tapioca e a macaxeira. Tanto é verdade que quando um turista visita as belas praias nordestinas é impossível resistir aos pratos “quentes” dos quiosques e lanchonetes.

Principais influências gastronômicas

Quando se fala em comida nordestina, logo se lembra da macaxeira. Também conhecida como mandioca e aipim, a macaxeira teria sido descoberta pelos índios na região amazônica.

Somente depois que os nativos descobriram o sabor e os nutrientes dessa raiz é que o produto se espalhou pelas Américas. Além dos colonizadores do período colonial, a mandioca e seus derivados também conquistaram os bandeirantes em suas aventuras pelo interior brasileiro.

Sobretudo os colonizadores portugueses deixaram sua marca na culinária local do Nordeste, com as palmeiras que inseriram o coco na cozinha brasileira, base de receitas doces e salgadas.

Enquanto isso, os escravos vindos da África contribuíram com receitas que levavam ervas e temperos da Caatinga. Um exemplo é o azeite de dendê proveniente do dendezeiro, uma palmeira típica da África.

Já os pratos nordestinos simples do sertão também acabaram encantando os cozinheiros. Carne de sol, pratos à base de milho e as doces rapaduras saíram do sertão para várias mesas.

Saboreie as receitas de algumas especialidades da culinária local do Nordeste.

Bolo de Macaxeira

pedaço de bolo de macaxeira

A macaxeira ou mandioca faz parte da cultura nacional, tanto que já virou meme depois de um discurso da ex-presidente Dilma.

Aliás, a raiz é rica em carboidratos, pode ser usada em receitas doces e salgadas e, ainda, tem vários subprodutos, como a fécula que é usada na produção da tapioca.

Com efeito, a mandioca é a principal contribuição da culinária indígena. Tanto que a origem da palavra está ligada à cultura nativa. Ela tem origem tupi e representa Mani, que era a deusa dos guaranis.

Um dos usos da macaxeira é como sobremesa. Confira agora como fazer um delicioso Bolo de Macaxeira.

INGREDIENTES

  • 2 quilos de macaxeira já ralada
  • 6 ovos inteiros
  • 6 xícaras de açúcar refinado
  • 6 colheres de sopa de manteiga
  • 200 gramas de coco ralado
  • 1 pitada de sal
  • 1 colher de sopa de fermento

INSTRUÇÕES

  • Em um liquidificador, bata os ovos e a manteiga por cerca de dois minutos
  • Pegue um recipiente, coloque a macaxeira e despeje, aos poucos, a mistura do liquidificador
  • Acrescente o açúcar e o coco ralado, mexendo bem
  • Coloque uma pitada de sal e o fermento
  • Pegue uma assadeira, unte com manteiga e polvilhe açúcar
  • Asse por cerca de 45 minutos. Retire e sirva.

Camarão na Moranga

prato de camarão na morango visto de cima

O litoral nordestino tem aproximadamente três mil quilômetros de extensão. Não é difícil encontrar praias de pescadores quando se passeia por lá. Os pescados, principalmente o camarão, são a estrela de vários pratos nordestinos, desde os simples aos requintados.

Saboroso e saudável, pois é fonte de ômega 3, um tipo de gordura que previne doenças do coração e pressão alta, o camarão é usado em várias receitas.

Portanto, uma das combinações mais apreciadas na culinária local do Nordeste é o Camarão na Moranga.

A moranga chegou ao Brasil nas mãos dos portugueses, por volta do século 16. Ela tem origem na Guiné e ganha outros nomes no país, como o jerimum.

Anote aí como fazer a receita básica do Camarão na Moranga.

INGREDIENTES

  • 1 quilo de camarão médio
  • 4 colheres de azeite
  • 2 dentes de alho amassados
  • 1 cebola picada
  • 5 tomates sem pele e sem sementes
  • sal e pimenta-do-reino
  • Creme de leite sem soro
  • 300 gramas de requeijão
  • 1 moranga média
  • cheiro-verde a gosto
  • 3 colheres de ketchup

INSTRUÇÕES

  • Primeiramente, corte a tampa e retire as sementes da moranga
  • Lave bem a moranga, envolva-a em papel alumínio e asse no forno médio por 45 minutos
  • Em uma panela, refogue o alho e a cebola, acrescente o camarão e mexa por cinco minutos
  • Acrescente os tomates, um pouco de pimenta, um pouco de sal e o ketchup
  • Desligue o fogo, acrescente uma lata de creme de leite e o cheiro-verde. Mexa bem. Coloque, por último, o requeijão
  • Retire a moranga do forno. Use um pouco de requeijão para “untar” cuidadosamente a moranga por dentro. Despeje o creme de camarão. Sirva. 

Bobó de Camarão

prato de bobó de camarão com arroz

O Bobó de Camarão é uma das delícias da culinária local do Nordeste por combinar ingredientes típicos do território, como o pescado, o leite de coco, o azeite de dendê e a macaxeira.

O prato combina com ocasiões especiais, especialmente nas mesas das famílias baianas, já que o bobó é considerado um dos pratos nordestinos mais saborosos da Bahia. Bastante versátil, o bobó pode ser consumido morno ou quente, conforme o gosto.

Ele une o sabor dos pescados às influencias trazidas pelos africanos através dos temperos fortes e marcantes. O prato se tornou popular em outras regiões. Mas, alguns estados não aderiram ao óleo de dendê, preferindo uma composição mais suave.

Ficou curioso para experimentar a típica receita nordestina? Veja como fazer.

INGREDIENTES

Para o camarão:

  • 1 quilo de camarão limpo
  • Suco da metade de um limão
  • 3 colheres de azeite de dendê
  • 1 dente de alho picado
  • Sal a gosto

Para o molho:

  • 3 colheres de azeite de oliva
  • 2 dentes de alho amassado
  • 1 xícara de cebola picada
  • 2 xícaras de mandioca amassada
  • 2 xícaras de leite de coco
  • 2 tomates sem pele e sem sementes
  • 4 colheres de salsa

INSTRUÇÕES

  • Cozinhe a mandioca, amasse e reserve
  • Tempere o camarão com alho, limão e sal
  • Aqueça o azeite de dendê em uma panela e refogue o camarão rapidamente. Reserve
  • Em uma panela, aqueça o azeite de oliva, refogue o alho e a cebola. Acrescente a mandioca e o leite de coco, mexendo
  • Adicione o tomate picado e a salsa
  • Acrescente o camarão refogado e mexa bem até obter a textura desejada. Sirva.

Tapioca

prato de tapioca com suco de laranja

A mandioca, mais uma vez, está presente fortemente na culinária local do Nordeste através da produção e consumo da tapioca.

O quitute, que pode ser doce ou salgado, conquistou fãs em todo o Brasil. Mas, o prato é característico de Olinda, em Pernambuco. Tanto que ele conquistou o título de Patrimônio Imaterial de Olinda.

A massa, também chamada de Beiju, é feita da fécula de mandioca, criada pelos índios. Aos poucos, ganhou adaptações por parte dos colonizadores, com os deliciosos recheios.

Para quem não resiste a uma tapioca, segue a receita.

INGREDIENTES

Para a massa:

  • 1 quilo de fécula de mandioca
  • 2 litros de água em temperatura ambiente

Para o recheio:

  • 200 gramas de leite condensado
  • 200 gramas de coco ralado

INSTRUÇÕES

  • Coloque a fécula de molho na água por cerca de duas horas
  • Escorra a água e coloque a fécula sob um pano branco para secar por duas horas
  • Passe a fécula numa peneira
  • Aqueça uma panela antiaderente em fogo baixo e despeje uma colher de sopa da massa
  • Espalhe a massa, alise-a e deixe por três minutos. Repita para formar mais massas
  • Misture os ingredientes do recheio em fogo baixo até a textura desejada
  • Monte a tapioca e sirva.

Onde Comer

Bodega do Sertão

O Restaurante Bodega do Sertão é um convite à imersão na cultura nordestina. A decoração com produtos artesanais, bules, fuxico, bordados e rendas encanta os visitantes. Mas, não é só a decoração que atrai. O cardápio lista os principais pratos da região Nordeste, como aqueles à base de camarão e a tapioca. A casa fica no bairro da Jatiúca, em Maceió.

Coco Bambu

As melhores criações em frutos do mar estão nos restaurantes da rede Coco Bambu. Uma das unidades fica no bairro de Pituba, em Salvador, Bahia. Os pratos nordestinos e as sobremesas, como o pudim, chamam a atenção dos clientes.

O local tem música ao vivo e atendimento elogiado pelos frequentadores. A rede começou a partir de uma pastelaria, em 1989, e se expandiu na Bahia.

Entre Amigos

Com o propósito de oferecer os melhores pratos à base de carne, como a famosa carne de bode, o restaurante Entre Amigos começou como uma banca, que virou bar e, logo depois, restaurante.

A casa tem três unidades em Recife, Pernambuco, e possui um cardápio variado, com peixes e sobremesas.  

Mangai

Com buffet de comida por quilo, o Mangai é um restaurante localizado em Natal, Rio Grande do Norte, que se tornou referência em comida nordestina.

A casa tem alguns diferenciais, como o cacho de bananas pendurado na parede. As frutas podem ser arrancadas e levadas pelos clientes. Além disso, uma lojinha de doces e sorvetes dentro do restaurante adoça o paladar.

Mangai é uma expressão nordestina usada para definir feiras de vários produtos. O nome foi escolhido pela proprietária do restaurante, que começou a empreender vendendo rapadura em feiras de João Pessoa.

Como visto, os pratos nordestinos atraem muitos paladares com ingredientes simples e fáceis de serem manipulados.

Portanto, a gastronomia nordestina valoriza os produtos típicos e fartos na região, como a mandioca e os frutos do mar, levando a cultura regional para todos os cantos do país através de receitas gostosas.

Festas regionais e sazonais, como as festas juninas e as feiras gastronômicas, são uma chance de conhecer ainda mais o que a cozinha do Nordeste brasileiro pode oferecer.

Com certeza, você já provou alguma iguaria nordestina, adaptada com os temperos mais característicos da sua região. Comente o prato que mais lhe chamou a atenção e qual adaptação você faria para ele ficar ainda mais saboroso.

Gizele Silva
Formada em jornalismo pela Universidade Estadual de Ponta Grossa, no Paraná, e especialista em Mídia, Política e Atores Sociais. É produtora de conteúdo para web e redes sociais na área de turismo e empreendedorismo – https://linkedin.com/in/maria-gizele-da-silva-39935a110/.